TRT LEVA 30% DA RENDA LÍQUIDA DO CR

Fui ao Mangueirão à noite de sábado,10, não com o intuito de assistir ao jogo CR e CSA.
De olho na sala onde funciona a tesouraria da Federação Paraense de Futebol.
Do pouco que vi do jogo, não entendo como o Josué mantem Mikael em campo, que erra passes em exaustão, e tira Edgar, que saiu de campo jururu.
Mas não me atenho ao jogo em que o Remo empatou em 1 a 1 porque fiquei entre o setor das cadeiras e de olho em pessoas indiferentes à sala onde funcionários da FPF confeccionam o borderô.
Henrique Lobato, advogado que representa os maiores credores do Clube do Remo junto à Justiça do Trabalho, na semana passada peticionou ao juiz Raimundo Itamar, da 16ª Vara-TRT-PA, que fosse bloqueado na boca do cofre os 30% dos jogos em que o Remo fosse o mandante.
O magistrado acatou a solicitação do advogado Henrique Lobato e no jogo contra o CSA oficiais de justiça visitaram a sala da tesouraria da FPF e levaram R$ 29.700,00 (vinte e sete mil e setecentos reais) dos R$ 99.000,00 (noventa e mil reais) da renda líquida do jogo.
R$ 190.140,00 (cento e noventa mil e cento e quarente reais) foi a renda bruta, sobrando ao CR R$ 71.300,00 (setenta e um mil e trezentos reais).
No Mangueirão conversei com o vice-presidente azulino, médico Ricardo Ribeiro, antes do jogo, e me revelou as dificuldades financeiras que a diretoria está enfrentando para quitar folhas de funcionários e jogadores.
O clube deve salários do ano passado (outubro e novembro) e deste ano estão atrasados 3 meses dos funcionários e o acordo na 16ª Vara, além dos bloqueios das cotas de publicidades da FUNTELPA e BANPARÁ, a partir do jogo deste sábado a justiça bloqueará na fonte.
Referente a este problema, o Ministério Público do Trabalho já denunciou o Remo ao Tribunal Regional do Trabalho.
É o que há!

Destaques

Comments are closed.