CR PEDE AO MPT AUDIÊNCIA DE CONCILIAÇÃO

ADVOGADO PABLO COIMBRA APRESENTOU PROPOSTA DE CONCILIAÇÃO AO MPT

No dia 2 de junho, quando o CR dividiu R$ 770 mil entre alguns credores, juiz Raimundo Itamar, da 16ª Vara-TRT-PA, comunicou aos advogados azulinos da denúncia do MPT.
Ministério Público do Trabalho recebeu denúncia de que o Clube do Remo não pagou seus funcionários em outubro e novembro de 2016 e, deste ano, deve três meses, portanto, 5 meses.
Clube do Remo e Ministério Público do Trabalho, em 2016, assinaram TAC (Termo de Ajuste de Conduta) com a finalidade de o time azulino em seus jogos fazer a propaganda contra o trabalho infantil em Belém do Pará.
Carla Afonso de Novoa Melo, Procuradora do Trabalho, fez conhecer ao TRT-PA que o Remo descumpriu com o TAC e não paga em dia funcionários e jogadores, o que poderá representar complicações ao Clube junto ao PROFUT.
A Procuradora Carla Afonso deseja que o Clube do Remo comprove que cumpriu com o Termo de Ajuste de Conduta (TAC), ou seja, a atualização dos salários e propaganda contra o trabalho infantil.
Na manhã de terça-feira, 13, advogado Pablo Coimbra protocolou na secretaria do Ministério Público do Trabalho documento em que o presidente Manoel Ribeiro solicita à Procuradora Carla Afonso prazo para apresentar as comprovações da propaganda, em jogos, no Mangueirão, contra o trabalho infantil.
Por outro lado, Manoel Ribeiro, no mesmo documento, solicita à autoridade do MPT audiência de conciliação entre Clube do Remo e Ministério Público do Trabalho para explicar sobre salários atrasados.
É complicada a situação financeira do Clube do Remo e, a cada dia, apresenta-se uma nova situação: Josué Teixeira anunciou que o tem dois (2) meses para receber e não abre mão da multa rescisória.
Segundo o repórter Nelson Torres, o ex-técnico remista tem contrato até outubro deste ano.
É o que há!

Destaques

Comments are closed.