AFINIDADES E GRATIDÃO

BORORÓ (3º DA ESQUERDA PARA DIREITA) CONSEGUIU A ADESÃO DE LUÍS OMAR

A eleição para presidente da FPF passa por afinidades entre os homens e gratidão.
Por não trilhar o “caminho das pedras”, Zé Ângelo deixou de ser o ungido do velho coronel Nunes, vice-presidente da Confederação Brasileira de Futebol – CBF.
Por ter indicado Fernando Castro como seu vice, Zé Ângelo perdeu a confiança do Nunes, e este passa a apoiar Adelcio, Bororó e Paulo Romano.
Fernando Castro, por mudança de domicílio, deixa de ser candidato a vice de Zé Ângelo. Este convida Marco Antônio Pina, diretor do CR, que não aceita em respeito ao Bororó.
Luís Omar Pinheiro, que foi candidato na eleição de 2013, quando obteve 55 votos, ficando em segundo lugar, perdendo para o Nunes, que alcançou 88 votos, lança sua candidatura.
Como dispõe de tempo e recursos financeiros, Luís Omar logo é abordado pelo Adelcio, que lhe oferece a presidência do Conselho Fiscal da FPF para aderir a chapa da situação.
Luís Omar não aceita proposta do Adelcio, e tem em Marcio Tuma, vice-presidente da TLB, o seu primeiro vice.
Na semana passada, Zé Ângelo telefona para Luís Omar e definiram encontro para formalizar a chapa tendo Luís Omar como cabeça de chapa e Zé Ângelo como um dos vice-presidentes.
Tudo definido e aos dois candidatos só faltavam definir um vice, que poderia ser oriundo de Marabá.
Antônio Carlos Nunes de Lima toma conhecimento da chapa Luís Omar-Zé Ângelo e escala Maurício Bororó para chegar junto de Luís Omar, que é presidente do Carajás Esporte Clube.
Luís Omar e Bororó são condôminos do mesmo prédio e as esposas dos dois cartolas são amigas: dona Chica, de Luís Omar, e dona Ana, de Maurício Bororó.
Em menos de uma semana a história muda: Adelcio, Bororó, Feliz e Luís Omar se encontraram em restaurante e selaram a união. Luís Omar anuncia que não é mais candidato.
Luís Omar comunica a Zé Ângelo que desiste da campanha à presidência da Federação Paraense de Futebol. Só restando a Zé Ângelo desistir também.
Sacramentada a desistência de Luís Omar, o presidente Adelcio, em ato de gratidão, marca eleição da FPF para o dia 4 de agosto. Por que 4 de agosto? É a data de aniversário de Bororó.
Ao final da tarde de segunda-feira, 12, Zé Ângelo diz: “É irreversível: não sou candidato à presidência da Federação Paraense de Futebol! ”
É o que há!

Destaques

Comments are closed.