“ACABOU A PILANTRAGEM NO PSC”

Presidente Maia diz que no Paysandu não tem pilantragem

Em agosto a Curuzu se transformará num canteiro de obras.
Fase de acabamento do hotel-concentração e a destruição da velha arquibancada do lado da Travessa do Chaco.
Presidente Maia convoca a Fiel para meter o gadanho na estrutura de concreto e no local surgir um novo espaço com dois pisos. A diretoria bicolor vai marcar um dia para que o torcedor seja um “tratorzinho”.
O dinheiro do alicerce da nova arquibancada do “Vovô da Cidade” a diretoria tem em caixa e a construção dependerá de o torcedor adquirir as cartelas do sorteio do carro importado. Um outro carro já está agendado para ser sorteado.
Nos portões da Curuzu e do Mangueirão, Paysandu acabou com o “bate-volta” (um ingresso é vendido várias vezes em negociação com porteiros e cambistas). A SONIQUE e o Departamento de Segurança do Paysandu trabalharam para acabar com os ingressos falsos nos jogos do clube.
“A pilantragem acabou no Paysandu”, afirma Maia.
Desde à época de Vandick que o clube negocia ônibus com a montadora Volkswagen, e agora o presidente Maia está concluindo as negociações, porque o clube tem os 200 mil reais da contrapartida e os parceiros do clube pagam o restante.
Dois milhões e setecentos mil reais é quanto o Paysandu recebe do direito de televisionamento da série B, enquanto outros clubes, da mesma série, recebem 40 milhões de reais.
A comissão criada pela CBF – Maia (PSC), Glauber Cabral (Náutico), Maurício Sampaio (Atlético Goianiense) e Marcos Salum (América-BH) – intercederá junto à TV GLOBO de cotas dignas e horários dos jogos.
Tem outros canais de TV interessadíssimas na série B e fazendo ofertas tentadoras. “Vamos negociar com a TV Globo, porque temos um grande trunfo. Há canal de TV querendo investir pesado na série B”, diz Alberto Maia.
No TRT-PA todo dia 10 de cada mês, Paysandu deposita parcelas dos acordos com credores, principalmente Jobson e Arinelson. “É incrível, mas é verdade. O Maia em cumprido com o acordo feito pelo Vandick”, afirma advogado Henrique Lobato.
Sobre o time de futebol, Maia diz que o time é unido, mas Souza não deu “liga”.
Esta matéria foi produzida tendo como parceiro o repórter Agripino Furtado, mas ao final o repórter José Maria Trindade indagou se o presidente se considera uma pessoa má.
“Quem me conhece sabe que não sou mau-caráter; quem me conhece sabe que sou trabalhador e honro minha família, meu pai, minha mãe, honro os que estão ao meu redor, agora sou justo. Aqui no Paysandu funcionário, que precisa trabalhar além do horário, o clube paga hora-extra. Os nossos funcionários estão recebendo dia 31 (sexta-feira). Sou justo. Agora, vadio não trabalha comigo, roda”, concluiu o presidente do Paysandu, Advogado Alberto Maia.
É o que há!

Destaques

“COELHO” VIVE A REALIDADE

Francisco Santiago diz que o América vive a sua realidade

O América-MG, em 2009, tinha 102 ações trabalhistas avaliadas em 12 milhões de reais.
Os atuais dirigentes, que é uma comissão de 9 conselheiros, criaram um “condomínio de credores” e conversaram com cada um, mostrando interesse em pagá-los, mas dentro da realidade do clube.
(O Vandick fez isso ao assumir o Paysandu, batendo de porta em porta dos principais credores e começou a honrar a dívida superior a 8 milhões de reais no TRT-PA.)
“Hoje o América não deve nada a ninguém, tem folha salarial de 890 mil reais/mês entre funcionários, jogadores e comissão técnica, e formamos parcerias com empresas que se interessaram pelas áreas, onde hoje estão estádios, CTs e shoppings com as marcas do nosso clube”, revelou Francisco Santiago, 65, diretor de futebol do “Coelho” mineiro.
TT – Como é administrado o clube?
FS – Somos 9 que fazemos parte de um conselho de administração e este conselho decide o futuro do América. Divididos em patrimônio, marketing, institucional, política, jurídico, médico e no futebol eu e o Euler.
TT – Então, no “Coelho” é o conselho que decide?
FS – É. É o conselho que decide. Não é um voto isolado. É uma decisão colegiada e que tem favorecido o clube.
TT – Patrimônio?
FS – O América em termos patrimoniais é superior ao Atlético e ao Cruzeiro. Temos um estádio, dois CTs, um shopping, e construtoras que estão construindo prédios residenciais e comerciais em área do clube e isso nos dá uma renda muito boa. O América está muito bem em patrimônio e nós fazemos render este patrimônio. O segundo maior shopping de BH é do América e o clube tem percentual nas vendas.
TT – Quem comanda o estádio Independência do América?
FS – É a empresa que vocês conhecem: BWA. Esta empresa paga percentual dos lucros.
TT – E as dívidas?
FS – O América não tem dívida. Quando assumimos fizemos “condomínio de credor”, conversamos, pedimos credibilidade e conseguimos junto aos credores e a justiça. Todo dinheiro arrecadado pelo clube, a justiça recebia percentual e pagamos. Hoje, com sacrifício e honestidade, o América não deve nada a ninguém.
TT – E a União?
FS – O América está no REFIS porque todas as dívidas foram equacionadas. Hoje o clube é tocado com tranquilidade.
TT – E o time de futebol?
FS – Ele é montado com a realidade do clube. Nada de fazer o que não se pode. No América não tem salários astronômicos. O América vive a sua realidade e a nossa folha (com tudo) hoje atinge 890 mil reais. O América não come chuchu e arrota caviar. O Atlético é líder do Brasileiro, mas tem a maior dívida entre todos os clubes deste país. O Atlético mineiro é irreal. É o clube que mais deve para a União. É irreal! Nós temos um time que podemos pagar!
TT – Quem será o representante do América na comissão?
FS – Marcos Vinícius Salum. Os clubes da B estão bem representados pelo Maia (PSC) o Glauber (Náutico) e o Maurício (Atlético-GO). Com estes brigando, a “B” muda.
Comer como pinto e borrar como pato é o mal da grande maioria dos clubes brasileiros.
É o que há!

Destaques

DECISIVO WELINGTON JÚNIOR

Welington Júnior foi decisivo na vitória bicolor por 2 a 0 sobre América-MG

Paysandu ganhou de 2 a 0 do América-MG e chega a quinta colocação da série B com 26 pontos.
Ricardo Capanema e Carlos Alberto jogaram muito, mas Welington Júnior foi traquino e decisivo na vitória bicolor diante de um “Coelho” com muito toque de bola, porém inoperante nas finalizações.
Com Felipe Amorim e Marcelo Toscano jogando pelas pontas e Tony e Raul jogando nas costas de Pikachu, time comandado por Givanildo Oliveira dominou o envolveu o Paysandu com a posse de bola.
Time bicolor poderia ter aberto o marcador, aos 7’, se o árbitro Marcelo Aparecido marcasse pênalti do goleiro João Ricardo sobre Leandro Cearense.
Saindo em velocidade, pela esquerda com João Lucas, Papão chegou ao gol de João Ricardo aos 12’ com Welington Júnior concluindo de peito de pé fazendo 1 a 0 Paysandu.
Aos 7’ Leandro Cearense, ao ser servido por Welington Júnior, desperdiçou a jogada mais cristalina de gol: só ele e a trave – jogou para o lado direito do arco do goleiro João Ricardo.
A camisa do Paysandu pesa sobre o corpo de Leandro Cearense. É jogador limitadíssimo!
Parênteses: A diretoria bicolor não tem paciência com Leandro Carvalho e tolera Leandro Cearense. Pira paz! …
Sem merecer, Paysandu vence primeiro tempo, e no início do segundo, em lançamento de Leandro Cearense, Welington Júnior ganha da zaga, bate na saída de João Ricardo, a bola se choca no poste e no rebote ele conclui: 2 a 0 Papão.
Este gol deu ao Paysandu tranquilidade para trabalhar a bola e se impor em campo diante de um América impotente que não ameaçou o arco do goleiro Emerson.
COMISSÃO
Alberto Maia faz parte da comissão que cuidará dos interesses dos clubes da série B junto a TV GLOBO.
Além do presidente bicolor, estão na comissão os dirigentes do América-MG, Náutico e Atlético Goianiense.
Os jogos das sextas-feiras serão todos no horário das 21h50.
É o que há!

Destaques

0 10

"Valdívia", 22, é o novo 10 do Paysandu (foto removida)

Por ser idêntico ao meia chileno, CAÍQUE FERREIRA DA SILVA LEITE, 22, carioca, foi revelado no ASA de Arapiraca e ganhou o apelo de VALDÍVIA.
É este o meia-atacante que o Paysandu contratou e que no período de 2012 a 2014 fez ótima temporada pelo ASA.
Se destacou o foi contratado pelo Cruzeiro-BH em 2015, de onde vem para o Paysandu.
É o que há!

Destaques

O 9

Everaldo é o novo nove da Curuzu

Com passagens por Grêmio e Figueirense, Paysandu contratou atacante Everaldo, 24, com chegada prevista para quarta-feira, 29.
Everaldo Stum é natural de Garibaldo (RS) e estava atuando pelo Figueirense.
Presidente do Paysandu, Alberto Maia, embarca nesta terça-feira, 28, para o Rio de Janeiro, onde, na sede da CBF, participará de sorteio para escolha do representante dos clubes da série B.
CBF escolherá representantes dos clubes que participam das séries A, B, C e D do campeonato nacional.
É o que há!

Destaques

VAI COM DEUS!

Não vejo paralelo em termos de leniência, irresponsabilidade e acima de tudo, submissão da atual direção do Paysandu, com relação a paciência com Souza.
Paciência tão longa, repulsiva e humilhante à torcida do Paysandu em relação a um jogador sem mobilidade.
Nos surpreende que o Presidente Maia, corretamente tão rigoroso nas cobranças com o elenco, tenha se mostrado paciente quanto a ridícula sustentação deste jogador improdutivo na onzena bicolor. Já era tempo. Foi-se!
Cinco (5) meses, vinte (20) jogos e um gol. O custo benefício foi altíssimo para o Paysandu.
Tenho pouco tempo de jornalismo esportivo, vinte e poucos anos, mas aos sessenta e dois anos estou por ver um fato repulsivo, insólito e vergonhoso, justamente, por não ter lógica e nem sustentação.
Pelo que vemos deverá haver a dispensa do técnico se o time não se houver bem diante de América-MG e Mogi Mirim.
No programa SHOW DE BOLA, da Rádio Marajoara-AM, o presidente Maia, ao ser inquirido pelo repórter José Maria Trindade sobre a paciência com Souza, revelou que haveria uma “avaliação” e que a diretoria tomaria uma decisão “sim”, e tomou à tarde desta segunda-feira, 27.
A torcida, presidente Maia, não tolerava mais ver Souza em campo sem mobilidade e improdutivo.
Vai com Deus, vai, Souza!

(Guilherme Tadeu é advogado, professor do CIABA, colunista de O AMAZÔNIA e radialista)

Destaques

SEMANCOL

Uma das questões mais intrigantes dentro do Paysandu é que a Novos Rumo ama o clube.
E quem ama cuida, diz o letrista popular. Quem ama quer ver o bem do amado. Quem ama mostra o caminho a ser trilhado.
Mas, desde que Vandick assumiu o Paysandu, em janeiro de 2013, que a Novos Rumos passou a cuidar do Paysandu Sport Club como um pai cuida do filho.
Os “cânceres” que havia no clube foram extirpados. E isso fere! Deixa marca! Mexe com as suscetibilidades daqueles que viviam mamando nas tetas do clube. Era uma “nhanha”.
E quando alguém toca no tema, como eu toco, vira inimigo figadal de quem pensa que o repórter José Maria Trindade torce contra a desgraça dos outros.
Ao passar 30 dias na aristocrática Munique, na Alemanha, em 2006, das poucas palavras do idioma alemão que trago no meu “HD”, há uma que traduz o momento: SCHADENFREUD (prazer que temos em ver o rival sofrer; infortúnio alheio que pode beneficiar alguém).
Longe, mas longe mesmo, desse sentimento!
Vandick e Serra cortaram a mamata das distribuições de ingressos a conselheiros do clube; Serra impediu placas de propagandas à beira do gramado a quando dos jogos do Papão sem pagamento antecipado.
As lojas do lado externo do estádio da Curuzu bem poucos pagavam aluguéis; houve quem dissesse que o contrato era “eterno”. Começa uma luta judicial com o clube contratando a advogada Penha Avelar para cuidar dos contratos “eternos”.
Vandick deixa o clube. Maia, ao assumir em janeiro de 2015, prometeu tirar todos àqueles que estão ocupando as salas por mais de 15 anos sem pagar uma “ana” ao Paysandu e os que pagam o presidente bicolor deu prazo de seis meses para desocuparem os imóveis.
Tenho acompanhado as ações na área judicial e porque tenho divulgado neste e no tuite, sou ameaçado fisicamente por algumas pessoas que vivem na beirada da Curuzu, como se eu estivesse dando “corda” no presidente Maia. Que repórter sou eu? Não é minha função!
Fui informado na semana passada que o presidente Maia esteve com o Romário, que vende (ou que vendia) material bicolor pirateado na loja, que não pertence a ele, e sim a um outro cidadão chamado Roberto, mas que não aparece por se tratar de agente policial, que a polícia faria uma “visita” no local. Romário não acreditou.
Sábado, 25, de manhã, recebo telefonema de um confrade amigo me informando de que a DIOE estava na loja do Romário. Fui e vi! Conversei com o policial que me informou que os que foram flagrados na Almirante Barroso com Avenida Ceará, e Lomas com Pedro Miranda iam para a sede da Delegacia de Investigações e Operações e Especiais, na São Francisco, na Cidade Velha, ter um encontro com o delegado Neivaldo Silva.
Ao chegar na delegacia, encontro com o confrade Agripino Furtado, que como meu gravador apresentou problema, fez “sonoras” com Alexandre Pires, diretor jurídico do PSC, e com o delegado Neivaldo Silva, e mandou, via e-mail, para a Rádio Marajoara e rodei no SHOW DE BOLA deste domingo, 26.
Qual o crime que cometi para ser ameaçado de “casinha”?
Algumas pessoas, que vivem na beirada do estádio bicolor, têm que entender que o Paysandu mudou e mudou para melhor. O Papão é uma empresa e como tal tem que ser administrada visando lucros.
Muita gente já ganhou dinheiro às custas do clube, e hora de tomar chá de “Semancol”
O repórter José Maria Trindade já comunicou às autoridades policiais e judiciais das ameaças que vem sofrendo.
É o que há!

Destaques

PIRATEIROS DETIDOS

Lojinha do Romário sendo visitada pela DIOE

Delegado Neivaldo falando de novas ações

DIOE – Delegacia de Investigações e Operações Especiais – sai às ruas de Belém e detém quatro pessoas vendendo material pirateado do Paysandu Sport Club.
Antônio Carlos Almeida, José Roberto Santos da Silva, Franklin Ribeiro Sá e Jucirema Pantoja foram flagrados vendendo camisas e shorts com a marca do clube bicolor na travessa do Chaco com Almirante Barroso (loja que é administrada pelo Romário, no campo da Curuzu), Avenida Ceará com Almirante Barroso e Lomas Valentina com Pedro Miranda.
A operação dos agentes da DIEO, na manhã de sábado, 25, foi acompanhada pelos advogados Alexandre Pires, diretor jurídico do Paysandu, e Antônio Maciel, conselheiro bicolor, que confirmaram ao blog que a ação policial, neste primeiro momento, tem a finalidade de “aconselhar” os que foram flagrados vendendo material pirata com as cores e logomarca do clube.
“Nós sabemos que o Romário não é o dono da loja na Curuzu, mas ele foi avisado pelo presidente Maia no dia 13, segunda-feira, que a DIOE, se ele continuasse a vender produtos pirateados do Paysandu, ele seria surpreendido pela polícia. Então, ele não acreditou e hoje foi detido em flagrante”, revelou Alexandre Pires.
Delegado Neivaldo Silva, titular da DIOE, confirmou ao blog que ação policial atende procedimentos solicitados pela PUMA e que os quatro (4) detidos foram indiciados e liberados, mas orientados que se forem detidos outra vez a situação é diferente porque tornam-se reincidentes no delito.
“Material foi catalogado e apreendido e os infratores liberados, mas sabendo do que pode acontecer se forem reincidentes, ” informou Neivaldo.
Sobre as lojas do estádio da Curuzu que continuam ocupadas por locatários que não aceitaram deixar os imóveis, Alexandre Pires revelou que aguarda por decisão judicial para haver despejos através de força policial.
CAINDO
Deixo de comentar sobre o jogo em que o Paysandu perdeu por 3 a 0 para o CRB porque não vi.
Mas, conforme já revelei, receio que o time bicolor despenque ladeira a baixo, mantendo Souza no elenco e alguns jogadores “andando” em campo.
É o que há!

Destaques

NINGUÉM SABE DE NADA

Da direita para esquerda: pai, tia, mãe, esposa e filha de Pikachu

O presidente do Paysandu, advogado Alberto Maia, diz que não sabe de nada sobre venda de Pikachu para o Flamengo.
O Pai de Pikachu, “seu” Lisboa, que como cabo da PM-PA, está reforçando contingente policial em Bragança (só volta dia 3 a Belém), informa ao blog que Pikachu cumprirá contrato com o Paysandu até 31 de dezembro de 2015.
Lisboa, em Belém, é quem cuida do contrato do filho com o Paysandu. ‘Estou aqui em Bragança e não sei de nada, porque se houvesse interesse do Flamengo o Kiko já teria me telefonado”, afirmou.
Cláudio Henrique Albuquerque, o Kiko, é dono dos 30% dos direitos econômicos do atleta, e pelo celular informa que não “há nada de concreto”.
Quando o presidente Maia fala em contrato “enrolado” de Pikachu se refere ao que aconteceu em fevereiro de 2012 na administração do ex-presidente Luís Omar, que vendeu Pikachu por 700 mil reais à empresa BIG SEGURANÇA E SERVIÇOS EMPRESARIAIS, que tem como titular o empresário Luís Henrique Oliveira.
Luís Henrique pagou para o Paysandu, e este não repassou os 15% a que o lateral tinha direito.
“Nem eu e o meu filho assinamos documento de venda e não recebemos nada”, revelou Lisboa. Nada feito.
Em janeiro de 2013, Vandick assume o Paysandu e chama “seu” Lisboa, pai de Pikachu, para alinhavar novo contrato, dando ao atleta 30% dos direitos econômicos.
Contrato assinado até 31 de dezembro de 2015, com cláusula contratual estipulada em 8 milhões de reais se aparecer comprador.
“Seu” Lisboa vende os 30% dos direitos econômicos do filho por 350 mil reais ao empresário Cláudio Henrique Albuquerque, o “Kiko, com empresa estabelecida em Campinas-SP.
Após 31 de dezembro, Glaybson Yago Souza Lisboa, Pikachu, estará livre.
Ninguém sabe de nada, mas “onde há fumaça, há fogo”.
É o que há!

Destaques

CORRENTE E CADEADO

Fachada da GOL SOTORE, na sede remista

Forte corrente e cadeado lacram a porta da loja

 

“Além de ser 5%, e quando paga”, revelou-me uma fonte azulina.
A relação CR-GOL ESTORE azedou de vez, gora, com o presidente Manoel Ribeiro mandando lacrar a loja da empresa, na sede do Leão Azul, na Avenida Nazaré.
Quando Ânderson Monteiro, 31, gerente, e Rose, funcionária, chegaram para abrir a loja, no expediente da tarde, se depararam com corrente e cadeado na porta e foram impedidos de adentrarem à sala.
Foram informados por funcionários azulinos que a ordem foi do presidente Manoel Ribeiro.
A relação CR-GOLS STORE começou em 2008 com o presidente Raimundo Ribeiro autorizando, através de contrato, a empresa, que tem sede em Santa Catarina, a vender produtos com a marca CR, segundo fontes reais com o repasse de 5%, mensal, a título de royalties.
Contrato foi renovado com Amaro Klautau (2010-11), com Sérgio Cabeça (2012) até 2017. E quando Zeca Pirão assumiu (2013-104) passou a questionar o valor do percentual. Mas, ficou o dito pelo não dito.
Em fevereiro deste ano, com a obra de reforço dos pilares da arquibancada do Baenão, do lado da Almirante Barroso, Ânderson foi obrigado a fechar a loja que havia no estádio, pelo lado da Antônio Baena.
Quando a obra acabou, Ânderson foi impedido de reabrir a loja por determinação do presidente Pedro Minowa.
A empresa concentrou atividades na loja da sede, mas o relacionamento se mostrava incestuoso, com corte de luz e água, com o clube alegando falta pagamento de aluguel.
Na tarde de quinta-feira, 23, Ânderson e Rose chegaram para trabalhar e se depararam com corrente e cadeado na porta da loja.
“O presidente Manoel Ribeiro mandou lacrar”, foi a explicação de funcionário do clube.
O blog entrou em contato com o gerente da GOL STORE em Belém, Ânderson Monteiro, 31, que disse ser estranho o comportamento da direção do clube porque a empresa tem “comprovante dos repasses” feitos, mensalmente, à diretoria do Clube do Remo.
“Comuniquei o ocorrido à direção da empresa, em Florianópolis, e aguardo decisão”, disse Monteiro.
É o que há!

Destaques