GOSTOSINHO FIFA RECEBE PROPOSTA E FICA NO PARÁ

DEWSON ESTÁ MAIS QUE FELIZ PORQUE FICARÁ AO LADO DA SUA MAMÃE

FAC-SIMILE DO DO DO ESTADO COM A NOMEAÇÃO DE DEWSON

No dia 05.02 deste ano, este Bogle publicou este texto:
O Fifa Dewson Fernando Freitas da Silva, 31, não deixará o Pará porque recebeu proposta do maior empresário do Estado para continuar empunhando a bandeira paraense mundo à fora.
Desde ano passado que o gostosinho Fifa, que nasceu em berço pobre, no bairro da Marambaia, mas de ótima cepa, é assediado por outras Federações, mas tem resistido…
Depois de alguns dias cercando o Dewson, via “watizap”, o árbitro paraense sabia que eu sabia das propostas que recebera, mas que não desejava me revelar sem que antes conversasse com dirigentes da FPF e amigos que o ajudaram a chegar aonde chegou.
Quinta-feira, 2, Dewson esteve na FPF, se trancou com os dirigentes da Casa do Futebol e comunicou que continuaria sendo árbitro de futebol vinculado à entidade. Bom para a Federação. Ótimo para o Estado do Pará.
Dewson será nomeado assessor da maior empresa Paraense, mas que em respeito a exigências do contratante, este blogue deixa de nomeá-lo, mas tudo está sacramentado.
Dewson aceitou conversar com o repórter José Maria Trindade, editor deste, mas que o repórter não indagasse sobre o seu novo patrão.
CONVITES
Surgiram alguns convites e eu devo respeito aos meus superiores, que a Federação Paraense de Futebol. Eu devo satisfação aos meus superiores e eu fui à FPF comunicar que eu permanecerei empunhando a bandeira do Pará.
MAMÃE
Ela (Maria do Socorro Freitas) que é tudo na minha vida. É pai. É tudo! É tudo para mim! Eu não me sentiria bem, estar em outro Estado sem dar dizer tchau e bênção. Não é assim que funciona comigo.
PROPOSTA CONCRETA
Não adianta eu trocar seis por meia-dúzia. Por exemplo: se eu deixar o Pará é porque eu tenho vantagens. Como não são boas, prefiro ficar defendendo a bandeira do Pará.
DESEMPREGADO
Procurei José Guilhermino de Abreu e entrei em detalhes sobre o emprego e no momento criei uma empresa (salão de beleza) e a minha irmã mais velha é a gerente, tocando os negócios. A preocupação do Guilhermino e do Fernando Castro era que eu me dedicasse cem por cento à arbitragem. (No momento crítico, Dewson recebeu oferta de emprego de um vereador belenense, e ele não aceitou)
RAZÃO SOCIAL
Com a minha razão social em dia, pagando todos os impostos, o trâmite foi este e Deus tem abençoado a minha empresa. A Receita Federal está de olho em nós e uma paulada da Receita é muito dura. A minha empresa tem quem cuide, e os meus impostos como árbitro pago na boca do borderô, inclusive em dólar nos jogos internacionais. Já vem tudo descontado.
SEJA FRANCO
Vou te ser bem franco: eu quero CT assinada. E não é só isso não. Outras vantagens: moradia. Eu tenho que me valorizar. Respeitar! É o “x” da questão.
PROPOSTA PARAENSE
Sim, sim! Ocorreu a proposta para que eu permaneça como árbitro Fifa vinculado ao Pará, carregando a bandeira do Pará para onde eu for, e eu estou muito orgulhoso e muito feliz. Zé, não revele ainda, porque estamos em negociação, mas será às claras… e se tornará público, mas eu estou muito feliz por poder continuar sendo árbitro Fifa paraense. Zé, vamos com calma, eu peço!
RÚSSIA EM 2018
Amém! Amém! Amém! Deus sabe o quanto sou verdadeiro, sou leal, correta na minha caminhada profissional e na vida pessoal. Não tolero injustiça e tudo isso agrega valores e às bênçãos veem acontecendo.
E no final da reportagem, Dewson fez referência a Pedro Alcântara: “É ele o responsável por este profissional Dewson. Foi ele quem me revelou para o Brasil e o mundo. ”
(Em 2003 quando dona Maria do Socorro Freitas, mãe de Dewson, foi à FPF matricular o menino que o pai – Fernando Lucas Oliveira da Silva – o viu apitando “pelada” no campo do São Joaquim, foi atendida pelo Pedro Alcântara, que viu futuro no menino Dewson).
NUNES
O coronel sabe disso. O primeiro a tomar ciência de tudo foi ele. Eu participei a ele que permaneceria na FPF. Devo satisfação a ele e respeito muito. Ele sabe.
TUDÃO E TUDINHO
A forma verdadeira; autenticidade e precisa no que divulga. Infelizmente, às pessoas não gostam de ouvir a verdade. A verdade dói. Admiro muito este lado!
Eis a confirmação deste fato: Dewson é assessor especial da Secretaria de Esporte e Lazer (SEEL).
É o que há!

Destaques

ÓTIMAS RESENHAS

BILHETEIRO DA FPF HAVIA 10 ANOS E NÃO DEPOSITARAM O SEU INSS, E FOI DESCONTADO

Fui à sede da Federação Paraense de Futebol e, na porta, Sérgio Dias me olha e indaga se eu sou Zé Ângelo.
Explico: o diretor de futebol do Clube do Remo lá estava esperando pelo sorteio da arbitragem para o RE-PA, de domingo, 26, no Mangueirão, e que o sorteado foi o Fifa Dewson Fernando Freitas Filho.
Disse ao Sérgio o que o Pará sabe: eu sou único, apartidário como repórter, e que estava na FPF em busca de fatos, porque aonde há paredros de Clube do Remo e Paysandu existem notícias.
E a sede da FPF sempre é uma mina de notícias, desde que o repórter saiba observar os detalhes que ocorrem no corredor da casa ou no bar do “traíras”.
Após sorteio, fiquei na roda dessas feras: Antônio Couceiro, Alexandre Pires, Mauricio Bororó, Paulo Romano, Scotta, Fernando Castro e outros que discutiam o quê do exame antidoping no RE-PA, e revelei o que sei e o que os próprios cartolas sabem, fingem que não sabem…
Há jogador que “dentro de campo é bom de bola, mas fora do campo é ruim da bola”. Todos sorriram e um dos que fazia (assim mesmo com o verbo no singular) parte da roda refutou: “É por isso que  estão pedindo o antidoping…”
Sobre o RE-PA disse: Espero que o Josué Teixeira não volte a matar o Papão com jogada pelas laterais: no Macaé, em 2013, empatou em 3 a 3 com o Papão em gol do lateral esquerdo Diego caindo em diagonal; no último RE-PA, lateral esquerdo jaquinha entra em diagonal e mete para Edgar fazer 2 a 1 Remo. São jogadas treinadas a exaustão.
Pelo celular converso com o presidente Adelcio, que está no Rio de Janeiro, e se desculpa pelos arroubos, e quando retornar vamos nos encontrar para reportagem sobre a campanha eleitoral à presidência da FPF.
No bar dos “Traíras”, sou abordado pelo ex-bilheteiro federacionista, João Carlos dos Santos, 65, que me diz estar atrás dos dirigentes da entidade para ter seus direitos reconhecidos porque durante dez (10) anos ele foi bilheteiro ganhando 10, 20, 30, 40 reais e sempre teve descontado os 8% do INSS, mas que os descontos não foram depositados.
Os ex-tesoureiros da FPF, Guilherme Salze e Iva eram os responsáveis pelos pagamentos e descontos em recibos assinados pelos serviços prestados. É mais uma da dupla que arrombou as finanças da Federação Paraense de Futebol.
E por último me sopraram: “Para não deixar o Estado do Pará, Dewson Freitas, o árbitro do RE-PA, foi nomeado pelo governador Simão Jatene para ser assessor especial da Secretaria de Esporte e Lazer (SEEL).
Como há tempos, a sede da FPF e o bar dos “traíras” sempre renderam boas resenhas.
É o que há!

Destaques

NUNES, O BLINDADO

EM ABRIL DO ANO PASSADO, ZÉ ÂNGELO E NUNES NA SEDE DA CBF...

Duas expressões estão me remoendo os miolos desde segunda-feira, 20.
“Não te dou entrevista porque tu és Zé Ângelo”, disse-me, pelo celular, o presidente Adelcio Torres da Federação Paraense de Futebol.
“Eu cuido das minhas filhas, sei com quem elas andam e aonde vão…”, revelou a um site mineiro o presidente do Boa Esporte, Rone Moraes, sobre a contratação do “quasímodo” goleiro Bruno, 33.
Em relação aos dirigentes federacionistas, sempre mantive relação respeitosa, mas sem perder a postura de repórter; e ao longo de dez anos denunciei a dupla de ex-tesoureiros da Casa do Futebol, Guilherme Salze e Iva, que hoje não mais fazem parte do quadro funcional devido às descobertas das notas falsas.
Esses fatos aconteceram quando Antônio Carlos Nunes de Lima era o presidente da entidade.
Nunes, quando estourou os fatos, estava como vice-presidente da CBF. E aí foi “blindado” por José Ângelo Miranda e Fernando Castro, que o assessorou durante seis meses na Confederação Brasileira de Futebol.
Nunes, em nenhum momento, veio a Belém prestar depoimento sobre o escândalo.
E aqui faço uma revelação que vai de encontro ao meu ato incomum de repórter: ajudei a “blindar” o desportista paraense que chegou a maior entidade do esporte da américa latina, a CBF, Antônio Carlos Nunes de Lima.
Ao ser procurado, em Belém e no Rio de Janeiro (em agosto do ano passado, por ocasião da RIO-16), por repórteres de O GLOBO e FOLHA DE SÃO PULO, disse aos confrades que eles andariam com poronga acesa e não encontrariam falcatruas do Nunes porque “ele não é ladrão. ”
Eu poderia mostrar os caminhos aos colegas dos dois maiores jornais do Brasil que estavam bisbilhotando fatos sobre o velho coronel. Silenciei pensando que um paraense chegava no comando do futebol brasileiro, mas sabia que o rombo era oceânico na FPF, como ficou comprovado.
E o Nunes foi ingrato com Zé Ângelo e Fernando Castro. Eles preservaram o licenciado presidente da Federação Paraense de Futebol, o velho coronel Nunes, das garras dos jornalistas do Rio de Janeiro e São Paulo.
Em um dia do mês de abril de 2016, na sede da CBF, Nunes me revelou que Zé Ângelo era o “desportista para comandar o futebol profissional do Pará por ser probo e de prestígio. ”
Aí está, talvez, o descontentamento do Adelcio Torres para com o meu trabalho. E por tabela, Adélcio, também, te protegi porque você era o vice do Nunes e sabia das falcatruas da dupla de tesoureiros da FPF.
Quanto ao pensamento do presidente do Boa Esporte, Rone Moraes: o pecada da Eliza Samudio foi se relacionar com quem não presta.
Com certeza, as filhas do cartola passarão longe do “monstro” Bruno, que não diz nem sob tortura aonde meteu os ossos da infeliz Eliza, que foi assassinada por cobrar pensão alimentícia para o filho…
É o que há!

Destaques

EU NÃO QUERO A FPF PARA ME BENEFICIAR, DIZ LUIS OMAR

LUÍS OMAR PINHEIRO É CANDIDATÍSSIMO À PRESIDÊNCIA DA FPF

Três desportistas paraenses confirmam candidatura à eleição presidencial da Federação Paraense de Futebol: Adelcio (reeleição), Zé Ângelo Miranda e Luís Omar Pinheiro.
Zé Ângelo com à ZÉ ÂNGELO, A MELHOR OPÇÃO; Adelcio, pelo celular me revelou que não me concederá entrevista: “Você está do lado do Zé Ângelo! ” E desligou…
Presidente Adélcio, eu nunca passei a rasteira em parentes e amigos. Quem revelou que “pessoas na Federação não têm dignidade moral” foi o Fernando Castro. Tenho “sonora”.
Guardo a reportagem que fiz com o Nunes no dia 1.04.2016, na sede da CBF, no Rio de Janeiro, afirmando que o Zé Ângelo é o “esteio; homem correto e de prestígio para comandar o futebol paraense. ”
Não sou quem você pensa que sou! Sou repórter que tenho compromisso com as verdades dos fatos. Todo ingrato, presidente, é mau-caráter! Eu nunca dependi – e não dependo – de migalhas da CBF e de ninguém, presidente Adélcio!
Foi o Zé Ângelo que me revelou que dos 15 mil reais que a CBF manda como seu salário, ele dividiu com os outros diretores, e talvez isso lhe tenha desagradado. Entendo o seu estado abespinhado com este blogue! Afinal, 9 mil reais são nove mil reais, e lhe sobraram apenas 6 mil reais.
Como a eleição para presidente da FPF acontecerá na segunda quinzena de outubro deste ano, outros nomes deverão despontar para concorrer com Adélcio, Zé Ângelo e Luís Omar, que me fez as seguintes revelações.
YPIRANGA
Estou fazendo lá o básico: lançamento das camisas; do sócio torcedor e contratei um bom técnico, o Sérgio Cosme, e ganhamos o primeiro título do sub-17. Eu só quero ajudar a desenvolver o futebol do Amapá. Vamos ser campeão para ter vagar na D do ano que vem.
CARAJÁS, YPIRANGA E A PRATICAGEM
Agora, tempo é o que não me falta: trabalho dez dias e folgo 20 durante o mês, porque novos práticos entraram na empresa.
PORRA LOUCA
Eu não sou porra louca! Eu sou um cara que falo o que penso! Falo a verdade! Mas, este porra louca é aquele que se compromete a fazer e faz. Então, tudo que me proponho a fazer, faço!
DEUS CASTIGA
Quem tenta me sacanear Deus castiga. O cara que me sacaneou no Paysandu, já se mandou de Belém.
CHEQUE DO TOURINHO
Como presidente do PSC, eu devolvi um cheque de 50 mil reais do presidente Tourinho. Ele tinha dado um cheque seu para o técnico Ademir Fonseca e foi carimbado várias vezes. O Ademir veio para uma audiência, e me procurou. Paguei os 50 mil reais, peguei o cheque e devolvi ao ex-presidente Tourinho. Paguei, e o Ademir retirou a questão da justiça. É a primeira vez que falo isso. Eu era o presidente e quando pego a caneta, a caneta é minha. Eu não culpo ninguém.
HÁ VAIDADES NO YPIRANGA
Eles brigavam. Agora, não brigam mais. Hoje reina a paz no Ypiranga: cada um no seu lugar com disciplina, ordem e hierarquia.
FPF
Sou can-di-da-tís-si-mo! Estou em campanha pela beirada e venho forte! Na campanha passada fiz campanha legal, mas nessa que já começou com sujeira, porque o Carajás está comendo o pão que o diabo amassou porque está me apoiando. O Carajás vota em mim, mesmo! A FPF é a casa dos clubes e não é a casa de meia dúzia que fica se beneficiando com a Federação. Luís Omar, na Federação, é para brigar pelos clubes! E não pelos meus interesses particulares, como deles que estão lá todos esses anos!
VICE
Um vem do Oeste do Pará (Santarém) e o outro é da capital, que pode ser da TLB, que pode ser do Remo, que pode ser do Paysandu. Eu não quero a Federação para me beneficiar, quero a Federação para os clubes. Esta eleição, na FPF, é o mesmo golpe da eleição passada, que arranjaram uma terceira via para tirar meus votos. E este ano, será o mesmo golpe. Não aceito que os desportistas desta terra não despertem para isso. Eu presidente, acabo com as aberrações. A FPF tem servido para os interesses particulares, e o coronel tem que manter a sua mordomia. Eu vou brigar pelos filiados.
CEJU
O Centro da Juventude aos sábados e domingos é alugado para peladas, mas a verdadeira finalidade se perdeu, que é a comunidade pobre jogando no CEJU. Eu presidente, acabo com essas coisas na Federação.
ÓLEO DE PEROBA
A logomarca da minha campanha será um litro de óleo de peroba para passar na cara desses caraduras que estão na Federação. Eles são meus amigos, mas a verdade será revelada.
ABRAÇANDO O MUNDO COM AS PERNAS, AFINAL, APARECER…
Nunca ninguém me fez esta pergunta, em toda esta minha trajetória, e você…fez agora e me dá esta oportunidade ímpar para responder: eu sou totalmente contra as coisas erradas, eu sou contra injustiça, eu sou contra o desequilíbrio nas coisas, mas todo mundo sabe neste estado que eu podia – e posso – nas minhas folgas pegar minha mulher ir à Europa, porque sou trabalhador, e graças a Deus sou aquinhoado com bom salário, meu dinheiro é honesto, todo declarado no IR, e podia estar passeando com minha mulher, meus filhos e netos, mas sou contra as coisas erradas e injustiças; então porque não me meter nisso? Eu não procuro aparecer, não sou porra louca, sou contra as injustiças, as coisas erradas…é injusto e a gente tem que combater. Eu quero a Federação para cuidar dos interesses do futebol e não dos meus interesses.
Tintim por tintim desta “sonora” com Luís Omar Pinheiro no SHOW DE BOLA, da Rádio Marajoara, domingo, 26.
É o que há!

Destaques

PESSOAS QUE NÃO TÊM INTEGRIDADE MORAL, DIZ FERNANDO CASTRO

FERNANDO CASTRO DEIXA BELÉM SEM ANTES FALAR AO BLOGUE SOBRE A FPF

Acabar com a taxa das ligas para renovar licenciamento anual.
Para que isso seja possível, as ligas interioranas terão que estar quites com a Receita Federal. É lei.
Criar os polos regionais da Federação Paraense de Futebol.
Um vice-presidente do interior, podendo ser o presidente da Liga de Marabá.
Conversará com o presidente Manoel Ribeiro para que ele indique o outro vice.
O fortalecimento dos campeonatos das ligas.
De quatro a cinco empresas (de Belém e de outros estados) como parceiras do Parazão.
Conversará com representantes de FUNTELPA e BANPARÁ para continuar a parceria e se juntar às demais que já estão apalavradas.
Acabar com a cobrança de 10% retirados das partidas do campeonato paraense, e o dinheiro deste percentual deverá ser revertido na melhoria dos campos de futebol no interior paraense.
E a ZÉ ÂNGELO, A MELHOR OPÇÃO será lançada em breve com às presenças de todos os representantes de clubes e ligas quando José Ângelo Miranda mostrará aos presentes os planos a serem executados se merecer a confiança do colégio que elegerá o presidente da FPF para o quatriênio 2018/21.
Fernando José de Castro Rodrigues, que seria vice, mas que deixará Belém disse ao blogue que os oito (8) clubes que participam do Parazão deste ano não têm estrutura porque a Federação não apresente suporte aos filiados.
“Este modelo atual decretará a falência dos clubes emergentes. Tirando Remo e Paysandu, os outros clubes não se sustentarão porque sobrevivem durante 90 dias – é só durante o campeonato e adquirem dívidas. Isso é muito ruim para o futebol paraense”, revelou Fernando Castro, ex-diretor técnico da Federação Paraense de Futebol, que disse que a Federação não é só arrecadação, mas “meios para ajudar os filiados. ”
Para Fernando chega de dar “uma bola para o homem do interior, ” por assim dizer, “isso não ajuda, afunda ainda mais”.
Fernando observa com preocupação a queda das arrecadações do campeonato paraense e a perda de importância da Copa Verde. E indaga o que está sendo feito. “É colocar profissionais à frente do futebol paraense e não pessoas que acham que possam viver de ajuda de custo”, denuncia.
Os interesses escusos dentro da Federação Paraense de Futebol o fizeram lhe passarem a perna: “Não tenho dúvidas. Nós incomodamos. A competência se estabelece, e infelizmente tem pessoas puxa-sacos, pessoas que não têm integridade moral e aí essas pessoas querem te afastar do processo; isso é muito ruim para o futebol paraense. Nós temos que construir o futebol paraense pautado em construções de projetos, de trabalho, de melhorias, de avanços, em propostas, ” concluiu Fernando Castro.
Este blogue proporá aos candidatos à presidência da FPF debate de propostas para o futebol paraense no programa SHOW DE BOLA, da Rádio Marajoara-AM-1130. Aguardem!
OPINIÃO DO PALPITEIRO
Se houvesse um tiquinho de dignidade moral na CONAF (CBF) e aqui na FPF, os rabos de cabra André Rodrigo Rocha (TO) e Wasley do Couto seriam – no mínimo – afastados das escalas, pagando pelo mal que fizeram contra o Galvez-AC e o São Raimundo (Santarém).
Foi “assalto”: viram e participaram dos atos que beneficiaram Paysandu e Clube do Remo.
É o que há!

Destaques

IMPRESSÕES SURREALISTAS

A praga da “fake News” (falsas notícias) fez mais uma vítima na imprensa esportiva paraense.
Foi na noite de sexta-feira, 17, após o jogo Paysandu 2 a 0 no Galvez-AC, na sala de imprensa da Curuzu, na coletiva do técnico Marcelo Chamusca.
Por demorar para comparecer à sala de imprensa, nas redes sociais circulava que Marcelo Chamusca havia sido dispensado pelo presidente Sérgio Serra, e quando apareceu para a coletiva, Chamusca chegou dizendo que havia um “panorama surreal”, mas que ele estava disposto a falar sobre o jogo.
Um repórter, o primeiro a perguntar, indagou se ele já estava demitido, o que deixou Chamusca fora de si e respondeu que o repórter deveria se “preparar para perguntar”, pois que o seu time estava fechado com a comissão técnica.
Os repórteres presentes não se deram conta que o técnico bicolor deu o tom da entrevista se alguém da “latinha” soubesse o valor artístico da palavra “surreal”, pois o time do Papão, em campo, é um elenco surreal.
A prova dos noves do fato jornalístico é a demonstração do factual. Não basta falar! Tem que demonstrar a verdade sabendo a essência do que se pergunta. É a verdade, custe o que custar.
Os números são favoráveis à comissão técnica bicolor, mas o futebol alviceleste é enganador, não realiza e ameaça pouco. Não tem padrão tático. Não joga com os três setores compactos, e permite que o adversário chegue à zaga tocando a bola. Não há pressão na marcação individual.
“Péssimas transições ofensivas têm o time do Paysandu”, foi a expressão do comentarista do canal Interativo.
Os repórteres presentes à coletiva com o Marcelo Chamusca perderam a capacidade de incomodar o comandante do time bicolor. “Se ninguém incomoda tem algo errado”.
Interpelar, questionar é função do repórter e este belo ofício só pode ser exercido com coragem, disposição crítica e independência. Não pode existir arregão no ofício de repórter. Tem que saber sabendo.
Diz um velho adágio popular: “Quem se prepara mais, se atrapalha menos”.
Em Belém chega de perguntas do tipo: “Faça uma análise do seu time! ” Fica fácil responder.
“O que o técnico pediu para você? ” Indagam quando um jogador entra em campo substituindo outro atleta. É demonstração de não saber fazer leitura de jogo e nem procura ouvir o comentarista que está dissecando a partida. É triste!
Após o carnaval, no Baenão, técnico Josué Teixeira só faltou tirar o cinturão e meter a taca em repórter, posto que falou que tem profissional que “não tem conhecimento cientifico sobre futebol” e ninguém ousou a contestá-lo, porque disse ser “advogado, formado em Educação Física e pós-graduado em fisiologia do exercício”. Meteram a língua no toba!
E o surreal? Em arte, encabeçada pelo poeta e crítico francês André Breton, e tem como principal artista plástico Salvador Dali, que plasma o real de forma irreal. (Vejam às obras de DALI).
E voltando ao time do Paysandu. É um time surreal, “seu” Chamusca!
É o que há!

Destaques

IMPRESSÃO E DEFESA

Que país é este é expressão surrada.
Prefiro dizer que o nosso país está entre os mais violentos, corruptos e os maiores absurdos deste planeta acontecem aqui nas nossas caras.
Ou melhor: os fatos ilógicos são presenciados, ouvidos e lidos diariamente por quem tem a capacidade de panoptismo.
Li com atenção redobrada a entrevista do “monstro” Bruno à Folha de São Paulo, e concordo quando ele diz que tem o direito de “recomeçar a vida”. É verdade!
Contudo, humanitariamente, se é que ele pode ser chamado de “serumano”, ele tem o dever de dizer aonde estão os restos mortais de Elisa Samudio.
Cadê os ossos de Elisa Samudio, “monstro”?
Os “monstros” nascem em casa, infelizmente, são resultados de exemplos, e por isso são frios, delinquentes, sem escrúpulos e sem limites. São híbridos! Esses tipos de “Quasímodos” não têm compaixão.
Se vivo fosse, com certeza, o caso do “Bruno” seria analisado por Jacques Lacan, que iria a fundo na origem berçária deste “monstro”.
DEFESA DO PAYSANDU
Francimar Barreto de Almeida e Francilene da Silva Lima, pais do garoto Felipe Mateus Lima de Almeida, moveram ação contra CR, PSC, FPF e Estado pela morte do filho ocorrida no dia 24.04.2007, dois dias depois de um RE-PA, no Mangueirão, quando foi atingido por um rojão caseiro.
Recebo defesa do Paysandu Sport Club como qualificado na AÇÃO DE REPARAÇÃO DE DANOS MATERIAIS E MORAIS.
Diante da ação milionária, à época do fato, pedida pelos pais no valor de 4000 salários mínimos da época (R$ 380,00), que representaria R$ 1.520.000,00 (um milhão, quinhentos e vinte mil reais), e que hoje acrescentados juros e correções monetárias chegaria a R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais), este blogue, em excerto, dá conhecimento da defesa bicolor.
DO RESTABELECIMENTO DA VERDADE FACTUAL QUANTO AO DEFENDENTE
“…no que diz respeito a este defendente, inexiste responsabilidade pelo evento danoso causador da morte do torcedor Felipe, eis que o requerido não era o clube mandante do jogo, bem como não foi o responsável pela organização do evento. Cabendo a responsabilização pelos danos à entidade organizadora do evento, qual seja a FEDERAÇÃO PARAENSE DE FUTEBOL –FPF, ao clube mandante do jogo, qual seja o CLUBE DO REMO, conforme se depreende do ofício nº 007/2015-ASSJUR-FPF, bem como o ESTADO DO PARÁ, que detém a responsabilidade pela segurança pública em geral e, especificamente, dos eventos esportivos.
“Assim sendo, imperioso que Vossa Excelência julgue pela extinção da presente ação sem a resolução do mérito em relação a este defendente Paysandu Sport Club, ante a inexistência de responsabilidade pelo evento danoso causador da morte do torcedor Felipe Mateus Lima de Almeida, conforme fundamentação retro e será bem demonstrado nas razões a seguir.
“Estas são em síntese, a verdadeira realidade dos fatos. ”
Portanto, a defesa bicolor argumenta que indevidamente foi incluído como passivo na presente ação.
O blogue, dependendo dos juízos de valores dos departamentos jurídicos de Clube do Remo e Federação Paraense de Futebol, pretende acompanhar e dar conhecimento desta ação milionária.
É o que há!

Destaques

INDENIZAÇÃO MILIONÁRIA

Felipe Mateus Lima de Almeida, 11, em 22.04.2007, saiu de casa, acompanhado de familiares, para assistir no Mangueirão ao jogo Remo e Paysandu, pelo campeonato paraense.
Não entrou no estádio e nem viu o jogo em que o Remo, como mandante, ganhou de 2 a 0: um artefato caseiro lançado por um espírito de porco atingiu a cabeça de Felipe, que foi socorrido de imediato, mas morreu dois dias depois.
Imediatamente, seguranças do CR, PSC e PM foram acionados e prenderem em flagrante Allan Soares Paulino, à época com 28 anos, e apresentaram à autoridade policial.
Passados nove (9) anos, Allan foi a júri popular ano passado (20.04.2016) e, por falta de provas necessárias, porque o Ministério Público não teve provas cabais para sustentar sua tese, foi absolvido.
Pela porta principal do Fórum Criminal de Belém Allan saiu leve, solto e tranquilo, mas a família de Felipe não se conformou e partiu para cima de CR, PSC, FPF e o Estado (representado por PM e SEEL) em ação de indenização por danos morais, avaliada em R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais)
Em seu DESPACHO/MANDADO DE CITAÇÃO, o juiz da 2ª Vara da Fazenda Pública de Belém, João Batista Lopes do Nascimento diz: “Cite-se na condição de litisconsorte passivo necessário a FEDERAÇÃO PARAENSE DE FUTEBOL e do CLUBE DO REMO, os quais poderão contestar, se quiser, no prazo de lei. ”
Às partes foram intimadas, individualmente, e o primeiro a se manifestar foi o Paysandu, que através do seu Departamento Jurídico, alegou que, inobstante ser parte do jogo, não era o mandante, e, portanto, não tinha responsabilidade sobre a logística da partida.
Advogado Antônio Cristino, diretor jurídico da FPF, está em férias nos Estados Unidos e só se manifestará quando retornar a Belém.
Por celular tentei falar com advogado Gilmar Alexandre Ribeiro do Nascimento, diretor jurídico do CR, que não atendeu.
É o que há!

Destaques

PAYSANDU NÃO TEM INTERESSE EM POLACO

POLACO, 24, MEIA OFENSIVO DO ATLÉTICO-AC, NÃO INTERESSA AO PSC

Converso com o médico Ivonélio Calheiros, 50, um dos diretores de futebol do Paysandu.
É claro que a nossa resenha passou pelo time do Paysandu, que está merecendo olhares atentos da diretoria bicolor.
“De seis a oito jogadores o Paysandu deverá contratar para o brasileiro e essa condição passará pela comissão técnica, diretoria de futebol e o presidente no momento exato, porque haverá uma avaliação completa”, disse Ivonélio.
Minha conversa com Ivonélio tinha um quê: Jadson Almeida Monteiro, “Polaco”, 24, meia ofensivo do Atlético-AC, que chegou à noite de ontem em Belém com a delegação do clube acreano, que joga nesta quinta-feira, 16, contra o Clube do Remo, pela Copa Verde.
Lúcido, Ivonélio disse que o Paysandu mandou a Rio Branco, ano passado, olheiro para ver “Polaco” em ação contra o Moto Clube, do Maranhã, pelas quartas de final da série D, e o time maranhense ganhou de 2 a 1.
“O jogo aconteceu no dia 4 de setembro e lá esteve um representante do Paysandu, mas não houve interesse porque o atleta passou por uma séria contusão no joelho e somente agora está voltando ao time do Atlético, e neste momento o Paysandu não tem interesse”, garante o dirigente bicolor.
Em voo que atrasou mais de 12h, delegação do Atlético-AC chegou a Belém, vindo de Brasília, às primeiras horas da madrugada desta quinta-feira, 16.
É o que há!

Destaques

ZÉ ÂNGELO, A MELHOR OPÇÃO

ZÉ ÂNGELO LANÇARÁ CHAPA À FPF

FERNANDO CASTRO NÃO SERÁ CANDIDATO A VICE DE ZÉ ÂNGELO

Causará impacto às propostas de campanha à presidência da FPF da ZÉ ÂNGELO, A MELHOR OPÇÃO PARA O FUTEBOL PARAENSE!
Expertise de José Ângelo Miranda, que já foi Secretário de Esporte e Lazer, vice-presidente da FPF e recentemente diretor executivo de gestão da entidade lhe dão cabedal suficiente para ser presidente e mudar a história do futebol profissional do Pará.
Quando à frente da Secretaria de Esporte e Lazer (SEEL), no período de 2005 a 2006, Zé Ângelo lançou, com sucesso, os JOGOS ABERTOS DO INTERIOR, tendo estreito relacionamento com os presidentes das Ligas.
Como vice de Antônio Carlos Nunes de Lima, na FPF, Miranda começou a faxina na tesouraria da entidade, e, mais recentemente, como diretor executivo detectou as falcatruas das notas frias, que lesou a FPF em mais de R$ 1,5 mi, e que o processo está na Divisão de Investigações e Operações Especiais.
Eis o que virá por aí em breve como plataforma de campanha da ZÉ ÂNGELO, A MELHOR OPÇÃO…
1 – Campeonatos paraenses de futebol profissional (2018/19/20 e 21) patrocinados por empresas paraenses e megas marcas nacionais;
2 – Ligas interioranas serão isentas de pagamentos de taxas anuais, desde que estejam em dia com a Receita Federal;
3 – Por “emeios” presidentes de ligas serão convocados a se manifestarem com relação suas necessidades para as realizações dos seus campeonatos;
 4 – Criação de representatividades da FPF nas regiões: vice-presidente das Regiões Marajoara, Oeste, Sul, Sudeste e Nordeste paraense;
 5 – Trabalho em conjunto com a diretoria da TLB para que esta volte a disputar os campeonatos paraenses;
6 – De imediato, José Ângelo Miranda conversará com os dirigentes de Clube do Remo, Paysandu, Tuna, Águia, Cametá, Pinheirense, São Raimundo, São Francisco, Independente, Castanhal e Paragominas para destes encontros
Na manhã de terça-feira, 14, em escritório de prédio na BR-316, Fernando José de Castro Rodrigues, 50, engenheiro consultor na área de telecomunicações, comunicou a Zé Ângelo que não poderá ser um dos vices na chapa ZÉ ÂNGELO, A MELHOR OPÇÃO porque, neste ano, por força de contrato profissional, deixará Belém do Pará.
“Zé, tenho empresa na área de telecomunicações e tenho que saí de Belém para instalar projetos em São Luiz e Natal e isso me deixará sem condições de estar ao lado do Zé Ângelo, então estarei na torcida pelo amigo”, confirmou Fernando ao blogue.
Tenho sonora produzida no dia 1 de abril de 2016, na sede da CBF, no Rio de Janeiro, com Antônio Carlos Nunes de Lima dizendo que Zé Ângelo “é a melhor opção para a FPF por ser honesto, correto e homem de prestigio. ”
É o que há!

Destaques